Ações contra reforma de João Doria foram destaque no último bimestre

Nos dois últimos meses do ano, uma das frentes do Sinafresp foi combater, junto com outras entidades, a proposta de reforma da Previdência do Estado de São Paulo

Divulgar os prejuízos para o funcionalismo e esclarecer a população sobre o desmonte ocasionado no serviço público pela PEC 18/2019 e o PLC 80/2019, que tratam da reforma da Previdência do Estado de São Paulo, são os dois principais pontos que nortearam as ações do Sinafresp em novembro e dezembro. Em parceria com alguns deputados e entidades de classe, o sindicato conseguiu elaborar uma série de ações que, sim, ajudaram a postergar a votação desses projetos do governador, adiando-os para o próximo ano. 

Uma das primeiras iniciativas do Sinafresp, tão logo a proposta de reforma da Previdência foi divulgada, foi um estudo entregue para a Bancada Ativista/PSOL. No levantamento feito pela diretoria, foi mostrado que o governo tem condições de fazer ajustes em outras áreas, preservando o funcionalismo e, consequentemente, o serviço prestado à população.

Na primeira semana deste mês foi ao ar na TV ALesp o programa Em Discussão, no qual foram entrevistados Glauco Honório e Lígia Sabaraense, respectivamente, vice-presidente e diretora de assuntos intersindicais do Sinafresp.

Os dirigentes falaram sobre a reforma da Previdência e destacaram principalmente a questão da política de benefícios fiscais do Estado, que deixou de arrecadar somente no ano passado o valor de R$ 15 bilhões relativos ao Imposto  sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS). Para este ano, a previsão é de que o caixa do governo deixe de receber R$ 16 bilhões em decorrência dessa política de isenções.

A última e mais recente iniciativa foi o artigo assinado pelo diretor Leandro Ferro, publicado semana passada no jornal Diário da Região, de São José do Rio Preto, reduto eleitoral do deputado Carlão Pignatari (PSDB) – líder do governo na Alesp. 

O texto é uma resposta a um artigo do parlamentar, publicado anteriormente no mesmo jornal, que defende a reforma do governador João Doria como sendo “necessária” para o Estado. Os argumentos de Leandro Ferro desconstroem a argumentação com fatos e números. 

“No próximo ano, as dificuldades prometem ser ainda mais acirradas. Portanto, nunca a participação dos colegas foi tão importante para dar apoio e mostrar coesão”, explica Alfredo Maranca, presidente do Sinafresp. Em 2020, o sindicato continuará atuando em defesa dos pleitos da categoria.