“Iniciamos o projeto mais importante da Classe”, diz diretor sobre câmaras

Ele ainda afirma que cada Câmara Temática se tornará, mais que um fórum de debates, uma rede viral

O Sinafresp iniciou, esta semana, as Câmaras Temáticas, após apresentação do projeto em reunião do Conselho de Representantes, realizada em 27 de fevereiro. De acordo com o diretor tesoureiro, Fabiano Buchetti de Sousa, as atividades foram abertas a partir da escolha da melhor ferramenta para abrigar os fóruns de discussão da categoria.

Representantes regionais estão sendo inseridos nos ambientes virtuais. O próximo passo é cadastrar colegas AFRs a partir de solicitação via e-mail. “Esse projeto é a entrega aos AFRs das rédeas da carreira. É a oportunidade da Classe decidir os seus rumos. Cada câmara se tornará, mais que um fórum de debates, uma rede viral”, lembrou Fabiano. 

Leia carta aos AFRs: 

Colegas,

Iniciamos o projeto mais importante do Sinafresp: as Câmaras Temáticas.

Depois de ouvirmos por tantas vezes que “não é o momento”, agora cada um de nós tem a oportunidade de proclamar, com a própria voz, que o momento chegou.

O momento de tomarmos as rédeas da nossa carreira, de discutir com seriedade todos os problemas que enfrentamos, e, finalmente, propor soluções concretas, que lutaremos para implementar com toda força.

Mas, será possível? Teremos força para transformar nossas ideias em realidade? Qual a diferença dessa iniciativa, e de tantos outros planos de ação que fracassaram no passado?

A diferença é que, desta vez, não ficaremos esperando, nem sendo conduzidos. Não ficaremos na dependência de líderes ou de benfeitores.

Cada câmara se tornará, mais que um fórum de debates, uma rede viral. Rede que já está se alastrando, e que irá contagiar cada AFR determinado a mudar, para melhor, a Secretaria da Fazenda.

Tudo começou com um conceito. Hoje, o conceito é palpável. As câmaras já existem. Podemos imaginá-las, hoje, como salas quase vazias, com uma ou duas pessoas cheias de boas intenções arrumando as cadeiras, torcendo para mais alguém chegar. E já podemos imaginá-las amanhã, com mais e mais gente chegando. As cadeiras acabando, as ideias tomando corpo, as salas se juntando uma a outra.

Todos trabalhando juntos, primeiro para diagnosticar os problemas, depois, para encontrar as soluções e, enfim, para colocá-las em prática.

Não depende do Sinafresp, não depende de políticos, da administração, do secretário, ou do governador. Não agora. Agora, depende de todos nós. A força que teremos será diretamente proporcional a força que cada AFR empenhar. Não somos e não agiremos como manada. Somos uma rede, uma corrente, mais forte a cada elo que moldarmos.

“O segredo das mudanças é focar toda nossa energia, não combatendo o ‘velho’, mas construindo o novo.” (Sócrates)

Solicite sua inscrição através do e-mail: michele@sinafresp.org.br. (Informem: nome completo, sua regional, e-mails, telefone fixo e celular). Acessem: forum.sinafresp.org.br.

Um abraço a todos,

Fabiano Buchetti de Sousa

Confira as regras de funcionamento das Câmaras Temáticas: 

  • Contexto:

Existem muitos AFRs, entre ativos e aposentados, interessados e aptos a colaborar, de alguma forma, com a reflexão sobre tais problemas e construção de soluções. Cada um tem seu perfil, suas restrições e seu nível de voluntariedade. Seria um desperdício abrir mão da opinião de qualquer um.

Existe atualmente uma enorme variedade de problemas a serem enfrentados pela classe, muitos dos quais se encontram num estágio muito primitivo do seu diagnóstico.

A depender do problema, é preciso trabalhar com horizontes de curto, médio ou longo prazo. Não podemos atacar tudo ao mesmo tempo nem tratá-los como tendo idêntico horizonte de resultado.

Por fim, envolver toda a classe no enfrentamento de suas questões favorece o início de uma nova era da carreira, na qual cada AFR sentir-se-á mais relevante nos rumos que tomamos. Não há classe forte sem Sindicado forte, e a força do Sindicato origina-se do engajamento dos AFRs. A palavra que resume isso: empoderamento.

  • Fóruns:

Criação de fóruns de discussão, cada um focado num tema específico, e cuja moderação fica sob a responsabilidade de um grupo (membros da câmara temática) escolhido pelo plenário.

  • Os fóruns são abertos a qualquer AFR, ativo ou inativo, filiados ou não;
  • Os fóruns possuem, no mínimo, um tópico genérico sobre o tema dele e, a critério dos moderadores, serão criados tópicos sobre assuntos específicos;
  • A critério dos moderadores, qualquer AFR pode ser cadastrado como moderador das salas temáticas;
  • Cada sala temática terá tópicos fixos, atualizados periodicamente, editados pelos moderadores da sala, contendo síntese de ideias/propostas sobre o tema em questão;
  • Os participantes dos fóruns estarão sujeitos a um mesmo código de conduta, cuja fiscalização ficará a cargo de seus moderadores.

Criação do “Fale com a Câmara”, no site do Sinafresp.org.br, em área aberta a qualquer pessoa, contendo campo de mensagem direcionado a Câmara específica. Trata-se canal de recebimento de sugestões anônimas. Tais mensagens caem na caixa de e-mail da respectiva Câmara, acessado exclusivamente por seus membros.

  • Regras de funcionamento das câmaras: 

Itens deliberados pelos membros: 

  • Escolha de AFRs para serem moderadores de salas especificas;
  • Abertura/Fechamento de sala específica;
  • Moderação de mensagens postadas. 

Regra de decisão: 

  • Não havendo um consenso entre os moderadores, deverá ser feita uma votação para definição da proposta a ser apresentada. Maioria simples. 

Regras da composição da Câmara: 

  • Uma Câmara não pode ter maioria simples de membros de uma mesma regional;
  • Número ímpar de membros;
  • Composição da Câmara (tamanho ou membros) pode ser alterada pelo plenário (maioria simples) em qualquer reunião do conselho, sem necessidade de aprovação prévia como item de pauta;
  • Um membro do Conselho/Diretoria pode integrar mais de uma Câmara. 

Importante: As Câmaras Temáticas são consultivas/propositivas e não deliberativas. A deliberação é responsabilidade do plenário (Conselho).

  • Separação das Câmaras:

O principal papel dos membros das Câmaras e preservar que as discussões não saiam do escopo da sua Câmara.

  • Necessário sinergia entre os membros de todas Câmaras para que não haja divergência sobre a separação de cada uma;
  • Sempre que necessário os membros devem orientar os AFRs sobre o local apropriado para determinada mensagem;
  • Somente zelando por essa separação evitaremos conflitos desnecessários entre colegas em virtude de, equivocadamente, estarem tratando de coisas distintas numa mesma sala ou tópico.
  • Demandas x Câmaras Temáticas:

Demandas: projetos criados pelo plenário, com escopo, prazo e responsável definidos e cujo produto final são estudos e/ou planos de ações a ser apresentado e aprovado/rejeitado pelo plenário.

Prerrogativa do responsável de uma demanda: 

  • Solicitar criação de salas em qualquer Câmara Temática;
  • Indicar novos moderadores, qualquer AFR, para qualquer sala (tanto as salas criadas por ele como os moderadores por ele indicados deixam de existir quando a demanda é encerrada pelo plenário);
  • Acesso a todo histórico de mensagens recebidas do “fale com a Câmara” de todas as Câmaras, salvo exceção a Câmaras especificas aprovadas pelo plenário.

O responsável por demanda deve ser diretor, conselheiro titular ou suplente. Indiferente se é ou não membro de alguma Câmara.

  • Divisão:

As Câmaras Temáticas têm como objetivo a valorização do cargo e foram divididas segundo áreas de atuação (áreas de interesse e de suporte). São elas:

Áreas de interesse: 

  1. Atribuições: discussões sobre problemas no trabalho do AFR envolvendo motivação e eficiência.
  2. Remuneração: discussão de assuntos relacionados a remuneração.
  3. Ética e Transparência: discussão de formas de inibir a conduta ilegal no âmbito da SEFAZ.
  4. Imagem e Comunicação: discussão de formas de melhorar autoimagem e imagem externa. 

Áreas de suporte: 

  1. Mobilizações: discussões de estratégias de mobilização e discussão de problemas no trabalho do AFR envolvendo desvio de função, autonomia e conflito com chefias.
  2. Atuação Política: discussão de estratégias políticas para conquista de pleitos.
  3. Integradora: acompanhar a execução dos planos de ação e promover a integração entre as demais áreas.