Fenafisco rebate declarações do presidente Jair Bolsonaro sobre fiscais

Em entrevista, ele disse que o patrão no Brasil precisa ser herói para escapar da fiscalização

A Federação Nacional do Fisco Estadual e Distrital (Fenafisco) divulgou uma nota de posicionamento esta semana em resposta à afirmação do presidente Jair Bolsonaro de que os “patrões no Brasil precisam ser um herói ou ter poderes sobrenaturais para escapar da fiscalização tributária”.

Assinada por Charles Alcântara, presidente da entidade, a nota destaca que a sonegação de impostos é crime e todos estão sujeitos às penas da lei. Ele também ressaltou no texto que tanto o patrão, que não é herói, deve cumprir a lei como os fiscal, que não é perseguidor, tem o dever de seguir a legislação e fazer com que seja cumprida. Portanto, também estará sujeito a sanções por ato ilícito ou abusos em razão do cargo.

Os comentários do presidente Bolsonaro foram feitos na sexta (20), quando repercutia a proposta de Paulo Guedes, ministro da Economia, de criar um imposto para as transações digitais. Na ocasião, Bolsonaro ainda disse que o Brasil tem tantos impostos que um fiscal consegue encontrar uma maneira de multar qualquer estabelecimento.

A nota da Fenafisco já repercutiu na imprensa e foi endossada pelas demais entidades do Fisco.