Frente Paulista em Defesa do Serviço Público é lançada na Alesp

Ato promovido por entidades de classe lotou auditório e contou com a presença de diretores do Sinafresp

Foi lançada ontem (11), às 14h, no Auditório Teotônio Vilela, na Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo (Alesp), a Frente Paulista em Defesa do Serviço Público. 

Com a presença de dirigentes e representantes de várias carreiras do funcionalismo, o movimento é uma reação às reformas propostas pelo governo federal que atingem diretamente o servidor. O ato, promovido pela Pública Central do Servidor, começou com um alerta do deputado estadual Carlos Giannazi (PSOL). 

Ele afirmou que os funcionários públicos estão sofrendo pressão de todos os lados e lembrou que será entregue hoje (12), na Alesp, a proposta de reforma da Previdência do governo do Estado. Giannazi disse que o governo prepara uma série de medidas que vão mudar o cálculo das aposentadorias “entre outras maldades”. 

Na sequência, José Gozze chamou representantes das entidades para compor a mesa, mas fez questão de afirmar que aquela reunião era um espaço para todos se expressarem. Participaram com ele: Lineu Mazano, presidente da Federação dos Sindicatos dos Servidores Públicos do Estado de São Paulo (FESSP-ESP), Marcos Alcyr, presidente do Sindicato dos Servidores da Câmara Municipal e do Tribunal de Contas do Município de São Paulo (Sindilex), e Rita Amadio, presidente da Pública São Paulo. 

Gozze disse que era muito importante a articulação em defesa do funcionalismo, mostrando à sociedade que sem funcionário público não há serviços essenciais. Ele afirmou ainda que uma nova frente parlamentar será implantada em outros estados e nos municípios. 

Alfredo Maranca, presidente do Sinafresp disse que é necessário promover um grande movimento de reconstrução da imagem do funcionário público, que está sendo desacreditada. “Precisamos nos articular e usar as redes sociais a nosso favor”, disse. 

Além de Maranca, estiveram presentes os diretores Victor Lins, que também falou em defesa do funcionalismo, Mônica Paim, diretora de Assuntos Parlamentares e Relações Institucionais, e Lígia Regina Sabaraense de Campos, diretora de Assuntos Intersindicais e Formação Sindical. 

Sindicatos, centrais, federações e confederações do serviço público foram convidadas para participar do movimento pró-servidor e multiplicá-lo.