Pobre Paga Mais é reconhecida como case de sucesso pela Federação Internacional de Serviços Públicos

Campanha do Fisco SP que denuncia injustiça fiscal no Estado foi destaque em evento com sindicalistas do setor público

Convidado oficialmente pela Federação Internacional de Serviços Públicos para apresentar a campanha “Pobre Paga Mais”, o Sinafresp participou hoje (1) do “Encontro Comitê Jovens ISP Brasil” no hotel Confort, em São Paulo, evento que reuniu cerca de 30 jovens sindicalistas do setor público para um debate sobre justiça fiscal.

A apresentação foi conduzida pelo vice-presidente Glauco Honório, que explicou a missão do Sinafresp, sua atuação e as principais ações que estão sendo realizadas no decorrer do ano, como o combate aos benefícios fiscais indevidos concedidos aos frigoríficos bovinos e avícolas, a luta do Fisco Paulista pela sua autonomia e valorização e, principalmente, a campanha Pobre Paga Mais.

Glauco apresentou o vídeo de lançamento da campanha, realizado na sede da Secretaria da Fazenda, o plano de mídia, a estratégia do Sinafresp nesta ação, além do mix de marketing e os resultados da ação na grande imprensa.

De acordo com Jocelio Drummond, Secretário Regional para Interamérica da Federação, uma das lutas centrais da entidade é a justiça fiscal, ou seja, fazer com que as empresas transnacionais paguem impostos. “Hoje em dia, a partir da utilização de paraísos fiscais, essas empresas não pagam impostos em nenhum país. Daí vem a nossa defesa de uma reforma tributária mundial. Já temos todo o estudo sobre isso, patrocinamos um grupo de especialistas para desenvolver uma proposta nesse âmbito, o qual foi liderado por Joseph Stiglitz, Prêmio Nobel da Economia, e chegamos a uma boa proposta. O objetivo é criar um comitê intergovernamental na ONU para debater essa proposta de reforma tributária mundial e fazer com que as empresas transnacionais paguem impostos”, explicou.

Drummond acrescentou ainda que a campanha Pobre Paga Mais é um exemplo positivo de ação sindical, capaz de incentivar sindicatos no Brasil e no mundo. “São os próprios trabalhadores do setor defendendo uma luta justa, a qual interessa a toda sociedade. É importante para nós que temos uma luta mundial conhecer as experiências de sindicatos do Brasil”, completou.

Ao final, os participantes fizeram perguntas direcionadas sobre negociações com a mídia, como conseguir bons resultados, quais as mídias mais eficientes, entre outros pontos relacionados à comunicação. Já a Auditora Fiscal da Receita Federal aposentada Clair Hickmann, que trabalha atualmente como consultora de Administração Tributária Internacional e é membro do Instituto de Justiça Fiscal, refletiu sobre a questão da transparência.

“Já avançamos muito nesse assunto, mas na área tributária a transparência ainda é o cerne, ela está no centro dos problemas. É preciso evoluir, a falta dela traz muitos problemas, sobretudo quando refletimos sobre incentivos fiscais”, concluiu.

O Encontro Comitê Jovens ISP Brasil segue até sexta-feira (4) com diversos outros temas direcionados aos servidores públicos.

Ressaltamos que o convite ao Sinafresp foi motivado após apresentação do plano de mídia da campanha Pobre Paga Mais em um encontro de relacionamento realizado em setembro entre a equipe de comunicação e o repórter da federação. A matéria está programada para ser veiculada ainda em novembro. Acompanhem!

Sobre a PSI

A PSI (Public Internacional Services) é uma federação sindical mundial que representa 20 milhões de trabalhadoras e trabalhadores que prestam serviços públicos essenciais em 154 países. A ISP defende os direitos humanos, promove a justiça social e o acesso universal aos serviços públicos de qualidade. A ISP trabalha com o sistema das Nações Unidas e em colaboração com entidades da sociedade civil, sindicatos e outras organizações.

 

01112016-apresentacao-pobre-paga-mais-3-site

Glauco Honório, vice-presidente do Sinafresp, ao lado do Secretário Regional para Interamérica da Federação, Jocelio Drummond (à direita), e da Auditora Fiscal da Receita Federal aposentada, Clair Hickmann (à esquerda)


01112016-apresentacao-pobre-paga-mais-20