Carta aos colegas mais novos

Abordando questões salariais, AFR aposentado registra seu apoio aos colegas de 2013. Compartilhamos o texto aqui!

Vocês não imaginam que a turma de 1986 já passou por tudo isso e ainda pior. Ingressei em novembro de 86 após ter saído da Embraer, onde era engenheiro de cálculo estrutural.

No ano seguinte tivemos uma das mais complicadas inflações da nossa história e o nosso governador na época, Orestes Quércia (que Deus o tenha), não deu um centavo. Terminamos o ano de 87 ganhando, praticamente, salário mínimo. Na época eu tinha vergonha de mostrar meu holerite. Tive que fazer mil “bicos” de professor para complementar o salário. Não roubei.
A situação só foi melhorar com o Fleury, governador que deu a geia, e foi o que nos salvou até hoje, fazendo o “pé de meia” do salário ao longo dos anos.

Também comemos o “pão que o diabo amassou” e, durante vários anos, com inflação violenta e cruel.
Não é nada fácil ser funcionário público e depender desses governadores.
O colega Eduardo Fávaro, da Sede, tem razão: os “antigos” precisam se mobilizar mais. Daqui a pouco estaremos ganhando uma merreca em razão da inflação!

Ressalto todo o meu apoio aos colegas de 2013!

Heraldo Horta Rodrigues
AFR aposentado.