Entidades realizam fórum de discussão sobre justiça fiscal no âmbito do serviço público

Evento foi parte das ações do Dia Mundial dos Serviços Públicos, que realizou diversas mobilizações ao redor do mundo para chamar atenção sobre o tema

Clique aqui para assistir a palestra do presidente do Sinafresp, Alfredo Maranca

Parceria entre o Sinafresp, a Federação dos Sindicatos dos Serviços Públicos do Estado de SP e a Internacional dos Serviços Públicos, o debate contou com a participação de diversas entidades, como Udemo, Sintelpol, Sin-HC, Sindcop, Sindojus, Apampesp, UNSP, Sindalesp e Sisderesp.

A mesa foi composta pelo presidente do Sinafresp, Alfredo Maranca, presidente da FESSP, Lineu Neves Mazano, presidente da Nova Central, Luis Gonçalves (confirmar sobrenome) e pela representante da ISP, Denise Mota.

“Mais do que nunca precisamos discutir justiça fiscal. Apesar de parecermos fracos diante dos desafios gigantes que temos que enfrentar no nosso país, se tem pessoas reunidas em busca da justiça com certeza alcançaremos a vitória”, afirmou Alfredo durante sua apresentação.

A programação teve início com a palestra Análise da Conjuntura, ministrada pelo presidente da FESSP. “Este evento será um material de denúncia sobre o que acontece no Brasil, mostrando ao mundo como os governantes estão lidando com a questão da justiça fiscal”, ponderou Lineu.

Foram destaques na sua fala a classe política manchada pela corrupção, as reformas e pacotes de medidas que não favorecem os trabalhadores, mas sim os bancos e instituições financeiras, a dívida pública e os juros e amortizações da dívida, explicando também as dívidas geradas por mecanismos financeiros e benesses tributárias, e não por gastos sociais.

Em seguida, Alfredo ministrou uma palestra sobre Justiça Fiscal e Perspectivas para um Brasil Melhor. Entre diversos pontos, abordou a questão da sonegação de impostos e como ela prejudica o avanço do país. “Cerca de R$ 94 bilhões, apenas com as cem maiores dívidas, são perdidos por conta das empresas sonegadoras e depois o governo culpa a previdência social”, declarou.

Alfredo também tratou dos incentivos fiscais aos frigoríficos, combatido fortemente pelo Sinafresp e a questão do IPVA, trazida por um participante, que questionou o fato do imposto não ser pago por proprietários de lanchas e jatos particulares. Dentro deste tema foi lembrada a campanha Pobre Paga Mais realizada pelo sindicato em 2016, que denunciou as injustiças tributárias do governo Alckmin.

Sua apresentação também debruçou sobre os objetivos fundamentais e as prioridades do país, expressos na Constituição, tratando sobre necessidades escalonadas, garantia progressiva de qualidade de vida, progresso e desenvolvimento como aproveitamento de recursos.

Ao final do encontro foi proposto pelos debatedores um encaminhamento para realização de um seminário e, posteriormente uma campanha para ser utilizada no início do processo eleitoral no ano que vem. O objetivo é que as entidades presentes discutam com suas bases e apresentem aos candidatos uma proposta para o país que tenha foco na reforma tributária e na justiça fiscal.

“Vamos seguir nessa luta tão importante. É bonito ver tanta gente engajada nesse mesmo ideal, com tantas ideias para serem colocadas em prática”, finalizou Alfredo.